Mensagem de Início de Ano

pe-geraldoCaro (a) Paroquiano (a)!
Neste início de ano quero compartilhar com você uma mensagem a luz da liturgia da Epifania do Senhor (tradicionalmente conhecida como a festa dos Reis Magos). A Celebração desta festa pode também ser chamada de “Festa da Luz”. Chega à luz quem deixa-se guiar pela estrela.


Somos convidados a seguir os passos dos magos para bem viver o novo ano que o Senhor nos presenteou por isso apresento alguns desses passos, que podem nortear a vida de nossa comunidade no decorrer de 2018.
1. Ir a procura de Jesus: Para encontrar Jesus é preciso sair, ir à sua procura. Sair da própria terra, do próprio mundo. Guiados pela estrela brilhando no céu e pela imensa esperança ardendo no coração, os Magos põe-se à caminho. Em sua busca não deixam de olhar para o céu nem de escutar o próprio coração. Se quisermos encontrar a Deus, a exemplo dos Magos, precisamos caminhar guiados pela estrela da fé, da esperança e do amor, não podemos ficar presos ao passado. Precisamos partir cada manhã com o coração mais leve e livre; precisamos mudar o medo de pensar, esperar e viver.
2. Saber discernir os sinais: Para fazer a experiência do encontro com Jesus, a criança de Belém, cuja a fragilidade revela o tamanho do amor de Deus, é necessário ler os sinais do tempo e da História e não cair nas redes, armadilhas dos Herodes de nosso tempo. Todo caminho que leve ao encontro de Jesus há, como houve no caminho dos magos, dia e noites, aurora e crepúsculos, alegria e cansaço, entusiasmo e desânimo, tempos de consolo e desolação, de dúvidas e certezas. Por isso, em nossa busca é preciso olhar atento aos sinais próprios de Deus.
3. Caminhar juntos: Os Magos não empreenderam uma viagem solitária, mas caminharam juntos. Quanto tempo caminharam? Dias, meses, anos? Não sabemos, o que sabemos é que caminharam juntos e juntos chegaram. O longo caminho da fé só poderá ser feito em comunidade, enfrentando cansaço e obstáculos, incompreensões e menosprezos… Porém, ajudando-se mutuamente, carregando o peso uns dos outros, suportando o calor do dia e atravessando a escuridão da noite.
A luz que um dia vimos, que iluminou nossos olhos e corações, não mantém sempre a mesma luminosidade, por isso, nesse caminho em algum momento a estrela que nos orienta pode até desaparecer, causando sombras e eclipses, parciais ou totais, são aqueles momentos que pensamos que Deus nos abandonou. Então, o que fazer? É preciso parar e perguntar a quem possa informar, esclarecer, orientar, como fizeram os Magos. As perguntas, nessas horas, fazem parte da própria providência de Deus. Na verdade, porque são perguntas por Ele, Deus já está presente Nelas.
4. Atitudes dos Magos: Depois de uma incessante busca, o encontro. O que fizeram os Magos?
Adoração: Diz o evangelho: “Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele e o adoraram.” ( Mt 2,11). Naquela criança descobrem e adoram o Deus Amor. Afinal, o longo itinerário da busca de Deus só pode terminar em adoração e entrega.
Ofertar: A segunda atitude dos Magos foi ofertar o que tinham de melhor: “depois abriram seus cofres e ofereceram presentes…” (Mt 2,11). Ao longo do caminho que nos conduz a Jesus, vamos enchendo nossas mochilas com o ouro do amor, que não esmorece; com o incenso que perfuma a vida cristã devota; com a mirra feitas dos sofrimentos e feridas da caminhada. Na sua casa, o Deus conosco nos espera para colher nossos preciosos dons, nossa homenagem e adoração.
Seguir outro caminho: Quem fez uma busca sincera, a exemplo dos Magos, encontra experimenta o amor Deus manifestado em Jesus e, por isso, deverá voltar por outro caminho. Não mais servirá caminhos ou trilhas que nos escravizem levando-nos de volta ao pecado e, como consequência, ao sofrimento e tristeza. Depois do encontro, da adoração e do ofertório de nossa vida é preciso retornar por outro caminho.

 

Pe Geraldinho