Santíssima Trindade

pe-geraldoMotivação: Jesus nos revelou quem é Deus e quem é o ser humano. Tal revelação encheu nosso coração de profunda gratidão. Por isso, o que importa não é satisfazer uma curiosidade especulativa sobre essência do Deus Trindade, mas acolher a boa notícia:

Deus é Pai (Fonte), que deixou transparecer seu rosto misericordioso no Filho (Caminho), em quem somos Filhos pela força e alento do Espírito Santo( Sopro) presente e atuante em tudo e em todos.

Aprofundamento:  mais urgente para o momento não é explicar o dogma da Trindade ou procurar coisas novas… O que interessa é buscar um “encontro vivo com Deus, comunhão de pessoas”. Portanto, não se trata de demonstrar a existência da luz, mas de abrir os olhos para contemplá-la e se deixar iluminar.

A Trindade é uma revelação do modo de ser de Deus: amor que se expande, em si e fora de si, de maneira redentora. Deus é Amor e só amor. Essa é a essência do Evangelho; é o fundamento de nossa confiança em Deus… No mais profundo de seu ser, Deus é relação, é comunhão e a comunhão entre as pessoas divinas é sustentada pelo Amor. O Amor gera unidade e a unidade mais forte é que brota do Amor. Nesta linha se compreende o Deus cristão: um só Deus em comunhão de pessoas. Por isso, temos  com Deus uma relação personalizada: somos Filhos do Pai (Fonte e Origem da Vida), irmãos do Filho Jesus           ( rosto visível da misericórdia do Pai) e amigos do Espírito Santo.

Uma idéia ou comparação: A Trindade é mistério que liga e religa tudo e permite transbordar seu amor à humanidade. Para facilitar nossa compreensão podemos usar uma imagem que hoje faz parte de nosso cotidiano: a “conexão”.

Nós entendemos muito bem o que significa “estar conectado”. A “desconexão” nos priva contato, das relações. E o que fazemos se perdemos o “sinal” ? Deslocamos de um lugar para o outro e buscamos espaços de “cobertura” ou de “conexão”. Às vezes, requer-se  para isso a “senha”, em outros casos temos “redes abertas”. Conectados, descobrimos que não estamos sozinhos.

Podemos usar esta imagem para falar da “tríplice conexão” na vida cristã, como centro e sentido para nossa existência. Aqui se trata da “conexão” com as três pessoas da Santíssima Trindade. Sem esta “conexão trinitária” nossa vida perde a ligação com a Fonte, extraviamos do caminho do amor e perdemos o “sinal” das relações e a  “senha” da unidade.

Na vida cristã, a “conexão trinitária” nos liberta da solidão vazia, do enclausuramento, em nosso ego, do narcisismo. A “tríplice conexão” nos faz entrar em sintonia com todos e com tudo e mantém interconectados todos os fios da vida e descobrimos que somos parte importante na “grande rede de vida” da criação. Para tanto, não basta  “uma conexão” ; só na “tríplice conexão” nos colocamos em comunhão com Deus que é Criador, Salvador e Santificador. Portanto, ninguém poderá se encontrar só com o Filho ou só com o Pai ou só com o Espírito Santo. Nossa relação será sempre com Deus Uno e Trino, pois, nem Pai só cria, nem o Filho só salva, nem Espírito Santo santifica por sua conta, tudo é sempre obra do Deus Uno e Trino…

Que a Festa da Trindade ajude-nos a perceber que continuamos renascendo da Fonte  ( Pai) da qual procede tudo o que existe; que no caminho do Filho nossa vida se torna uma grande “travessia” e no sopro do Espírito  teremos fôlego para chegar a meta.